TEXTO
TEXTO
+ -

Olá, seja bem vindo!

Esqueceu a senha? Clique aqui.

Baixe o nosso app:

Projeto de inovação tecnológica do curso de Enfermagem promove orientações para prevenção do pé diabético

Aplicativo foi construído utilizando a metodologia de engenharia de software Extreme Programming, em parceria com o Núcleo de Robótica do CESMAC

22/10/2020 às 12h09

O diabetes mellitus (DM) é uma doença crônica não transmissível considerada um problema de saúde pública. Sendo a neuropatia diabética uma das mais comuns complicações do DM, os pés se apresentam mais vulneráveis ao aparecimento de lesões, estas são denominadas pé diabético, elas aumentam o risco de amputações não traumáticas e estudos mostram que 50% delas podem ser evitadas com atividades de educação em saúde.
O Projeto financiado pelo CNPq “Desenvolvimento de um Aplicativo Móvel como Ferramenta de Orientação para Cuidados e Prevenção do Pé Diabético”, levou ao desenvolvimento de um aplicativo móvel como ferramenta de orientação para cuidados e prevenção do pé diabético. O aplicativo foi construído utilizando a metodologia de engenharia de software Extreme Programming em parceria com o Núcleo de Robótica do CESMAC.
A equipe de pesquisadores vem disponibilizando orientações e conhecimentos sobre cuidados e prevenção do pé diabético por meio de vídeos e postagens na conta do Instagram do projeto @app.pediabetico.
O estudo está sendo orientado pela Profa. Dra. Daniele Cristina de Oliveira Lima e tem a coorientação dos professores: Mozart de Melo Alves Junior, Yolanda Karla Cupertino Nunes, Evanio da Silva e Romildo Armindo da Silva. Tem ainda a participação dos discentes: João Paulo do Nascimento Cordeiro (bolsista) e Clezia de Souza Silva.
Estudos mostram que em média 50% das amputações podem ser evitadas com atividades de educação em saúde somadas ao estímulo do autocuidado e atendimento interdisciplinar, com ênfase no exame dos pés para avaliação do risco de desenvolver lesões de pé diabético. O enfermeiro tem importante papel na orientação dos cuidados necessários para evitar o aparecimento de lesões ulcerativas aos portadores, sendo o principal profissional responsável pelo desenvolvimento de atividades educativas e implantação de estratégias para favorecer adesão ao tratamento na atenção primária a saúde.
O objetivo do estudo é favorecer a comunicação e simulação dos cuidados preconizados pelo ministério da saúde, federação internacional de diabetes e sociedade brasileira de diabetes para prevenir a complicação intitulada pé diabético, que quando não tratada adequadamente pode evoluir para amputação do membro.